Review | American Horror Story [S2: Asylum]

“Todos os monstros são humanos.” 1964, a Instituição Mental de Briarcliff, em Massachusetts, é comandada pela Irmã Jude Martin, com sua capacho fiel, Irmã Mary Eunice McKee, mas esse lugar não é uma simples hospicio, a instituição fundada pelo monsenhor Timothy Howard abriga pacientes que afirmam ser internados injustamente, como a jornalista lésbica Lana Winters, o acusado de ser um serial …

Review Overview

Nota Geral

4,5

User Rating: Be the first one !
90

“Todos os monstros são humanos.”

1964, a Instituição Mental de Briarcliff, em Massachusetts, é comandada pela Irmã Jude Martin, com sua capacho fiel, Irmã Mary Eunice McKee, mas esse lugar não é uma simples hospicio, a instituição fundada pelo monsenhor Timothy Howard abriga pacientes que afirmam ser internados injustamente, como a jornalista lésbica Lana Winters, o acusado de ser um serial killer Kit Walker e a suposta assassina Grace Bertrand.

A segunda temporada da série de televisão American Horror Story, da FX, se mostra uma antologia ao se distanciar da primeira temporada da série, apresentando personagens completamente novos e uma nova localização, focando dessa vez nas história dos pacientes, médicos e freiras que habitam a Instituição Mental de Briarcliff, em Massachusetts, nos Estados Unidos, e os acontecimentos nesse local no ano de 1964.

2[1]

Anunciada em outubro de 2011, a temporada estreou em 17 de outubro de 2012 com “Welcome to Briarcliff”, American Horror Story: Asylum trás de volta alguns dos autores da primeira temporada, vivendo novos papeis. A série estreia com audiência de 3.85 milhões e segue em queda até “The Origins of Monstrosity” (2×06), onde chegou em 1.89 milhões, e se estabilizou numa média de 2.3 milhões até sua finale, em 23 de janeiro de 2013, com “Madness Ends”.

“Espero que não se importe de não usar anestesia, interfere na minha avaliação.”

Nós temos a volta de Sarah Paulson, dessa vez no papel da jornalista lésbica Lana Banana Winters, que descobre que Briarcliff possui diversos segredos e resolve ganhar o Pulitzer ao levar esses segredos à luz, mais eis que a Irmã Jude surge no seu caminho mudando seus planos; A Irmã Jude Martin, interpretada magistralmente por Jessica Lange, é uma ex-alcoólatra que cantava em bares e boates até que acidentalmente matou uma criança e encontrou no convento sua redenção, até que o destino a levou para comandar, a mão de ferro, o instituto mental.

medium-clean

O sucesso da primeira temporada, Evan Peters, volta na pele de Kit Walker, um rapaz comum que é abduzido por alienígenas e acaba sendo, erroneamente, acusado de ser o serial killer Bloody Face, que vem matando mulheres e retirando a pele e a cabeça delas. Temos ainda Zachary Quinto como Dr. Oliver Thredson, o psicologo que trata Kit; e James Cromwell como Dr. Arthur Arden, um médico que faz diversas experiencias humanas no porão do hospício e tem um passado negro envolvendo o nazismo.

“Eu sei de tudo. Eu sou o diabo.”

O fundador da instituição, Monsenhor Timothy Howard, é vivido por Joseph Fiennes, e luta ao máximo para esconder todos os segredos que habitam o interior do local; temos ainda Lily Rabe como Irmã Mary Eunice Mckee, que inicialmente é a freira mais idiota e submissa do hospital, mas durante um exorcismo acaba sendo possuída (sem que ninguém perceba) e se transforma totalmente numa vaca maravilhosamente cruel. Temos ainda a participação de Frances Conroy como Shachath, o Anjo da Morte; Adam Levine como Leo Morrison; Naomi Grossman como Pepper; e Chloë Sevigny como Shelley.

AHS-2x11_17[1]

A temporada traz ainda “The Name Game” (2×10), o episodio com uma das cenas mais icônicas da série, uma cena musical com a Jessica Lange cantando uma adaptação da música de Shirley Ellis, mas também uma cena bem pecadora, já que traz de volta personagens mortos entre os dançantes hospedes da instituição.

“Doença mental é a explicação mais elegante para o pecado.”

A temporada venceu o American Film Institute na categoria 10 Melhores programas de 2012, o Art Directors Guild Award pela Excelência em design de Produção: Telefilme ou Minissérie por “I Am Anne Frank, Part 2″ (2×05), o GLAAD Media Awards na categoria Outstanding TV Movie or Mini-Series, além das indicações de Jessica Lange nas categorias Melhor atriz em minissérie ou filme para televisão no Globo de Ouro e no Screen Actors Guild Awards.

 

O que achou?

Comentários

About Icaro Augusto

Icaro Augusto
Cursando Tecnólogia em Design Gráfico no Instituto Federal de Pernambuco (IFPE), livrólatra e cinéfilo, atualmente é sócio-diretor do Host Geek e envolvido com diversos grupos literários pernambucanos. Vive em Recife/PE, tem como meta a área de Game Designer e está sempre ligado no mundo Geek e Otaku.
Host Geek. 2014.